No séc. XVII, o móvel de assento reflete marcada hierarquização social, assistindo-se ao aparecimento da cadeira brasonada, a vincar o prestígio e autoridade de quem a possuía.

Embora de proveniência conventual, esta peça poderá ter pertencido ao rol de bens ou dote de uma noviça de descendência nobre. De castanho, apresenta assento e costas de couro lavrado, preso por pregaria grossa de latão. Tem as pernas lisas e as travessas recortadas e vazadas. Nas costas, entre decoração vegetalista gravada, destaca-se ao centro um escudo encimado por elmo, com o campo preenchido por uma flor e sobre ela a inscrição "REIS".