O que caracteriza verdadeiramente o estilo manuelino é a exuberância dos ornatos, o excesso decorativo dos elementos colhidos na natureza e que revestem a totalidade da peça, numa sensibilidade de verdadeiro horror ao vazio. Desta época, salienta-se a salva decorada com faixas de putti defrontando animais fantásticos entre enrolamentos de folhagens e uma cena marítima com caravelas e figuras mitológicas, encenando uma naumaquia.
Peça de ourivesaria civil que, por herança, foi propriedade de D. Frei Álvaro de S. Boaventura (1672-83) esta salva recebeu ainda no séc. XVII, o brasão de D. João de Melo o brasão, sobreposto a outro anterior, ainda não identificado Este bispo ordenou que a peça recolhesse à sacristia da Sé.