Sustentada pelas pinças de um caranguejo (de intenso naturalismo), a cruz-relicário está associada a um episódio da vida de São Francisco Xavier. Conta-se que este apóstolo jesuíta andava a missionar pelas ilhas Molucas quando ocorreu uma tempestade no mar; o santo mergulhou nas ondas revoltas a cruz que trazia consigo e logo as águas se acalmaram, mas a cruz perdeu-se no mar. Mais tarde, quando São Francisco passeava na praia, um caranguejo saiu das águas erguendo nas pinças o crucifixo perdido. Posteriormente, ela terá sido recolhida neste relicário.