As três sacras de altar pertenceram o altar-mor da Sé de Coimbra e são obra do ourives romano Francesco Topai, ativo entre 1761 e 1778.
Do conjunto destaca-se a sacra cental, de maiores dimensões, adotando uma exuberante decoração barroca de anjos e querubins, envoltos em sinuosas linhas geométricas e motivos de cariz vegetal e floral, em prata, enriquecido ainda com aplicações em lápis-lazuli.