A tipologia que caracteriza amplamente este período é a dos grandes retábulos e altares, povoados por diversas cenas de temática religiosa.

Representando, em baixo e médio relevo, episódios ligados à iconografia mariana, sob a invocação da Virgem da Misericórdia, esta obra de João de Ruão está organizada em tríptico de dois andares.
Possui seis painéis – Adoração dos Magos, Adoração dos Pastores, Visitação, Virgem da Misericórdia, Apresentação do Menino no Templo, Fuga para o Egito – dos quais os dois centrais constituem os eixos imagéticos fundamentais, diretamente relacionadas com os valores da espiritualidade dos confrades da Misericórdia de Coimbra, para quem a obra foi executada.