Em Portugal, o retábulo monumental de madeira entalhada, incorporando imagens e painéis em relevo, divulga-se sobretudo pelo trabalho dos flamengos aqui fixados. A talha seiscentista dotou-o de motivos naturalistas e geométricos, que se espalhavam por todo o espaço, conferindo-lhe maior decorativismo.

O autor desta obra, evocativa de Nossa Senhora da Conceição, é o escultor, cuja formação artística se desconhece, apesar de manifestar afinidades com a arte dos entalhadores castelhanos largamente difundida, em Portugal, no séc.XVII.

A imagem de Nossa Senhora da Conceição, padroeira do Reino após a Restauração da Independência, é a figura central deste retábulo.