De instrumento funcional, a tsuba, guarda-mão de espada, transformou-se, a partir do século XVII num objeto meramente decorativo. Era feita nos mais diversos metais ou ligas metálicas, apresentando decoração vazada, incisa e aplicada, mais ou menos rica, dependendo das modas e das possibilidades económicas dos proprietários.