Está em curso no MNMC uma operação que conjuga a salvaguarda patrimonial com o envolvimento e interação com os públicos.
A partir da necessidade de limpeza periódica das coleções, está montada no pátio da fonte romana do criptopórtico uma estrutura técnica que intervenciona o acervo de pintura e escultura de madeira em reserva. Em simultâneo, a visibilidade deste trabalho tem a capacidade para interferir no coletivo, passando à cidade a consciência de que a vertente da conservação preventiva inclui a criação de um ambiente laboratorial de estudo e investigação. O MNMC surge, assim, como espaço de conservação e restauro, onde se trabalha também, todos os dias, a salvaguarda do património cultural móvel.
A equipa técnica do MNMC envolve, num acordo com o Centro de Formação Profissional CEARTE, três estagiários, e tem uma duração prevista para 3 meses (maio a agosto de 2021). Esta ação tem o acompanhamento e a supervisão do Dr. Paulo Gouveia, formador do CEARTE.