Sexta-feira Santa, o Mistério da Cruz. Assinalamos o dia da Paixão de Cristo com a obra ‘Cristo Negro’ (MNMC 10891) e a poesia de Isabel Pires, na voz de Ricardo Kalash.

'O Cristo Negro'

De asas abertas,
a grande ave de negro está poisada.

Ninguém ouviu os corvos
que voaram nesse dia no céu da Galileia.
O espanto assola as frinchas da madeira
e a podridão brota da chaga.

A ave de negro agora vai morrer.
Ninguém se chega ao vulto
que tenta erguer as asas.

Ninguém notou
que os corvos regressaram.
Para olhar o abismo.

Isabel Pires


Para ver o vídeo clique aqui